Rugby de Calcinha

Psicologia do esporte: qual a importância de treinar a mente?

Rugby de Calcinha - psicologia do esporte
Por Rodrigo Scialfa Falcão
É psicólogo formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, atua no projeto social Rugby Para Todos e na WBT Team Competition. Mais sobre o autor em www.psicologianoesporte.com.br

Quem pensa que atleta só deve trabalhar os músculos, está totalmente enganado. Em qualquer tipo de esporte, o emocional e psicológico estão diretamente relacionados ao desempenho. Assim como um personal trainer, o psicólogo do esporte ajuda a turbinar a atuação dentro e fora de campo. Em alguns posts no Rugby de Calcinha, irei falar sobre minha área relacionada ao rugby. Aos poucos, vou introduzindo fundamentos do meu dia-a-dia.

O QUE É
 A Psicologia do Esporte é uma ciência, que estuda os comportamentos de pessoas envolvidas no contexto esportivo e de exercício físico. O objetivo do psicólogo do esporte é entender como os fatores psicológicos influenciam o desempenho físico e compreender como a participação nessas atividades afeta o desenvolvimento emocional, a saúde e o bem estar dos indivíduos nesses ambientes.

Leia também: seu psicológico é vilão ou mocinho na hora de jogar rugby?

ONDE ATUA
Profissionais especializados estão mais relacionados aos esportes de alto rendimento. Mas não é só do esporte competitivo o foco de atuação do psicólogo do esporte. As áreas de intervenção são compostas também: pelas práticas de tempo livre (exercício físico como manutenção da saúde e do bem estar), pelo esporte escolar (a relação do praticante com o ambiente escolar, nos mais variados graus), pela iniciação esportiva (crianças e jovens envolvidas em atividades esportivas, pedagógicas e competitivas), pela reabilitação (recuperação psicológica de lesão de atletas e praticantes de esporte, assim como reabilitação e promoção da saúde através do exercício físico, por exemplo, cardiopatas, obesos, dependentes químicos, entre outros) e por fim pelos projetos sociais (tem como intuito o esporte como meio de educação e socialização de crianças e jovens de comunidades carentes).

Muitas vezes o papel da Psicologia do Esporte e da Psicologia Clínica é confundido, na verdade são especialidades diferentes. Não se “transporta” para o ambiente esportivo o “divã”, as estratégias de intervenção dessas áreas podem ser em alguns momentos similares, porém os objetivos são distintos.

Referências Bibliográficas: Da Psicologia do Esporte que temos à Psicologia do Esporte que queremos, Rubio, K. Revista Brasileira de Psicologia do Esporte, 2007. Fundamentos da Psicologia do Esporte e Exercício; Weinberg, Robert e Gould, Daniel; Artmed; 2001.

Até a próxima!