Rugby de Calcinha

Conheça Larissa, a brasileira que integrou a seleção portuguesa

224828_10150904262926448_31972616_n


Por Renata Barros

A nossa personagem dessa vez tem uma história bem legal com o rugby. Nasceu no Brasil, em Minas Gerais, mas aos oito anos foi para a Europa e viveu um ano no País de Gales, onde teve a oportunidade de conhecer o rugby.  Aos dez, mudou-se para Portugal e lá pôde de fato praticar o esporte e integrar a seleção portuguesa. No ano passado foi escolhida a “Loba Elite favorita” pelo Portugal Rugby Feminino no Facebook, mas agora ela está de volta a sua terrinha natal e com um sonho: representar o Brasil nas Olimpíadas.

Larissa conta pra gente um pouco sobre essa experiência rugbier em três países diferentes, sua visão sobre a popularização da bola oval no Brasil e seu futuro como jogadora.

Nome: Larissa Lima
Idade: 19
Clube em Portugal e Brasil:  ES Agrária de Coimbra e Brasília Rugby Clube
Posição: No momento joga de centro.

RdC: O que te levou a jogar rugby e como foi o seu primeiro contato?

Conheci o Rugby em País de Gales aos 14 anos,  pois na escola todo mundo jogava rugby e foi aí que me despertou curiosidade para conhecer mais sobre o esporte. Assim que regressei a Portugal no ano seguinte não tive quais quer dúvidas da modalidade que queria praticar. Logo que comecei a treinar tive todo o apoio de amigos, familiares e principalmente das minhas colegas de equipe e treinadores. Lembro-me do meu primeiro treino até hoje, foi maravilhoso e logo ali percebi que seria uma grande paixão para o resto da vida.

RdC: Qual o momento marcante como jogadora?

Sinceramente foram muitos, pois tinha uma ótima equipe e ganhamos vários campeonatos nacionais, tanto no rugby de XIII, de Sevens e beach rugby.

O sonho de representar o Brasil nas Olimpíadas

RdC: Como são as equipes portuguesas e as condições de treino?

As equipes Portuguesas são muito boas, todas têm suas qualidades e isso torna o campeonato português de rugby cada vez mais competitivo. São excelentes, a começar pelas estruturas dos clubes que comportam boas condições logística e humanas.

RdC: Quando você entrou na seleção e como foi a sua experiência?

Os meus primeiros treinos pela seleção foram em 2010 e foi algo altamente positivo e motivador. Não tive a oportunidade de jogar uma partida oficial, pois em 2011 eu seria convocada para o Madrid Sevens, porém no mesmo dia tinha viagem para o Brasil de férias… mas vendo pelo lado positivo, foi bom ter acontecido isso, pois assim eu não poderia jogar pela Seleção Brasileira!

RdC: Como funciona a seletiva? Existe algum apoio financeiro? Os técnicos são estrangeiros?

A seletiva em Portugal tem como base o desempenho da atleta ao logo de toda a temporada de rugby. Os clubes são patrocinados por marcas diversas e junto com a anuidade paga pelos atletas é possível fazer os deslocamentos e todas as despesas necessárias, incluindo o seguro de cada atleta. Os treinadores são todos portugueses, tanto do clube quanto da seleção.

RdC: Como foi a sua volta para o Brasil e qual o sentimento de deixar o seu clube e seleção?

Voltei por motivos familiares, mas o que mais pesou na minha decisão foi acreditar que poderia ainda vir a jogar na Seleção Brasileira de rugby. É claro que fica a saudade das colegas e equipe que me proporcionaram momentos inesquecíveis.

532362_10151413833926448_50241503_nLarissa enfrentou o Brasil em 2011

RdC: Tem algum ritual ou superstição antes dos jogos?

Nada em especial, mas gosto sempre de ter as unhas pintadas para jogar.

RdC: Algumas das jogadoras do seu clube e seleção jogaram no Brasil durante o intercâmbio. O que elas falavam sobre o rugby brasileiro?

Sim, algumas. Se não me engano, estiveram todas no nordeste. Foram todas muito bem recebidas pelos clubes, falaram muito bem. Disseram que foi pena a falta de competições que tiveram ao longo do ano e que o apoio financeiro para o rugby é muito pouco.

RdC:  Qual a sua expectativa em relação ao rugby aqui no Brasil?

É de vir a crescer cada dia mais como atleta e com muita humildade poder atingir os meus sonhos/objetivos  como jogadora.

550286_3019705949786_1571499298_nJunto com suas novas companheiras, as corujas do Brasília Rugby