• Home  / 
  • Notícias
  •  /  Mudanças radicais no formato do Six Nations Feminino

Mudanças radicais no formato do Six Nations Feminino

capitãs 6nations

Por Bárbara Madureira

Nas últimas semanas falamos sobre o campeonato que movimentou toda a Europa nesses primeiros meses do ano, o Six Nations Feminino.

Teve como grande campeã a Irlanda, que conseguiu sua primeira vitória no campeonato e ainda com o Grand Slam.

O campeonato desse ano foi de grande importância para o rugby feminino europeu. No decorrer das competições as equipes conquistavam mais confiança e começaram a mostrar a força que as mulheres têm na modalidade de XV, tipicamente masculina.

Contudo, uma notícia abalou as estruturas das seleções que participaram da competição esse ano. A notícia foi: a organização do evento quer reestruturar o formato das partidas para competições a partir de 2014. E essas mudanças influenciarão não só o formato do campeonato, mas também as equipes participantes da competição e tais transformações podem acontecer já no mês que vem, abril de 2013.

A discussão gira em torno de dividir o campeonato em dois níveis, o primeiro seria composto por Irlanda, França e Inglaterra e o segundo com Gales, Itália e Escócia.
Elen+Evans+Wales+v+England+Women+Six+Nations+v-DO0R_QHZXl

Ficaria mais ou menos assim:

  • As seleções que fazem parte do primeiro grupo jogariam umas com as outras em casa e fora de casa em cada temporada, enquanto as seleções participantes do segundo nível teriam apenas a oportunidade de jogar dois jogos em casa em cada temporada e os jogos fora de casa ocorreriam de dois em dois anos.

Especula-se que a principal motivação para essa mudança seja os custos que uma competição desse nível traz, e também porque a modalidade de Sevens, que estará presente nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, tem crescido bastante na Europa e os times de lá começaram a investir mais nessa categoria para terem suas seleções nos jogos olímpicos.

Essa não é uma boa notícia para as seleções que começaram a investir mais na categoria feminina de XV e conseguiram em anos uma estrutura competitiva de alto nível. As meninas da França não gostaram muito da proposta: a porta voz da seleção francesa Nathalie Janiver disse que se trata de um retrocesso no esporte e que fica com raiva pelas conseqüências que tal ação terá sobre os times de XV espalhados pelo continente. Disse ainda “O que iremos dizer aos jogadores que sonham e se preparam durante anos para conseguir chegar na seleção de seu país? O que diremos pros treinadores? Esse torneio é  fonte de motivação para muitos. Essa mudança não faz sentido.”

itália

O ‘Six Nations’ teve origem em 1996 e contava apenas com 4 seleções. Logo após 5 anos, a França aderiu à competição, tornando 5 Nações, e no ano seguinte a Espanha começou a fazer parte e virou o 6 Nações. No ano de 2007 resolve-se trocar a Espanha pela Itália, transformando assim no atual formato da competição.

Essas mudanças são drásticas para o campeonato e não chegam em um momento muito oportuno pois, esse ano o campeonato ganhou uma visibilidade muito maior, ainda mais depois que uma seleção diferente da Inglaterra e França venceu a competição, a Irlanda.

Fiona Coughlan 23/1/2013

Além disso, a Copa do Mundo ocorre daqui dois anos e se as mudanças forem aprovadas, a seleção de Gales, por exemplo, terá apenas um jogo oficial a nível internacional para se preparar para o mundial, já que se encontra no nível dois.

Nós do Rugby de Calcinha aguardamos mais informações sobre essas mudanças e esperamos que sejam realizadas apenas aquelas que ajudem as seleções femininas a crescer e mostrar a força que o rugby feminino tem.

Quer saber mais? Curta nossa página no Facebook e siga-nos no twitter (@rugbydecalcinha). E se quiser ver as melhores imagens do rugby siga-nos no instagram (@rugbydecalcinha).