• Home  / 
  • Não usar
  •  /  O rugby brasileiro fazendo bonito no Natal

O rugby brasileiro fazendo bonito no Natal

14 de dezembro de 2012

Ação de Natal do SPACPor Rebeca Spago 

O ano de 2012 foi marcado por uma grande mobilização dos clubes para com instituições que precisam de ajuda. Na verdade esse tipo de ação social sempre existiu, só que agora os clubes estão tendo oportunidades de ajudar mais, e isso é notado através de patrocínios inusitados de empresas de renome.

A Instituição RUGBY PARA TODOS (talvez seja a maior de todas), juntamente com integrantes do Pasteur, desenvolveu um trabalho muito bacana de incentivo às crianças que treinam e moram na Comunidade de Paraisópolis, localizada no bairro do Morumbi na capital paulista. Para cada final de semestre “os alunos com até 14 anos acumulam pontos, por meio de fichas distribuídas por psicólogos mensalmente durante cada semestre, conforme o comportamento individual deles perante os colegas, professores, em eventos, etc. Ao final do semestre, fazemos a lojinha, com diversos produtos doados por pessoas, clubes, lojas, parceiros, onde eles podem “gastar” estes pontos. Os melhores alunos são mais recompensados”,  explicou Fabrício Kobashi, responsável pelo projeto. Muito criativa essa forma de estimulo a essas crianças e adolescentes!

Vários patrocinadores como a Barclays, que tem o “Keep Walker” Christian Squassoni atuando diretamente, doaram ao RPT 140 bolas de rugby, totalizando 200 unidades com a ajuda de vários interessados, tendo assim cada criança recebido sua própria bola.
Neste Natal o RPT conta ainda com a ajuda da loja Decathlon.

Natal especial do Rugby!

Outro clube que aderiu à ação social foi o SPAC. Mesmo estando ocupado com os preparativos do XX Lions 7´s, o clube conseguiu presentear todas as crianças da Fundação Márcio Brandão, que passarão a treinar com o infantil da casa, com uma bola e uma camiseta muito estilosa. Os jogadores Leandro Amaral, Ricardo Corá e Alexandre Castiglioni entregaram pessoalmente bolas MITRE. Eu estive presente e pude ver o interesse e a felicidade em cada rostinho.

Assim, cada clube vai sentindo a necessidade de ajudar a divulgar o rugby entre crianças carentes que são super talentosas para o esporte mas que na maioria das vezes passam desapercebidos.Uma vez um jogador me disse: “O dia que eu puder ver que juntei umas 200 crianças de uns 11 anos pra treinar rugby, daí sim posso ficar tranqüilo”. Ele tem razão.

Leco e garotinha que também ganhou bola de rugby!A base de hoje é o que deixaremos para o esporte daqui alguns anos, e está onde menos esperamos. E ações como essas além de lindas, garantem o futuro de crianças e do rugby brasileiro!