Análise do SPAC Lions 2012

Por Teresa Raquel Bastos

A edição deste ano do SPAC Lions foi incrível e inesperada para as modalidades participantes. Após a criação do Brasil Sevens, a importância do campeonato se reconfigurou fazendo com que diversos times optassem entre um e outro. Um motivos cruciais foi os recursos que são limitados e não cobririam dois eventos de tal grandeza, como foi o caso por exemplo do Recife Rugby Clube feminino.

Pegando esse viés do Recife, percebemos que tanto no feminino quanto no masculino houve total ausência de times do nordeste. No masculino o desfalque maior ficou pela desistência do Alecrim Rugby, atual campeão do principal torneio de sevens da região, o Nordeste Seven’s.

De qualquer forma, os 12 times femininos fizeram jogos inspirados, esforçados e sem dúvida fonte de aprendizado. Mais que os outros anos, foi possível perceber em resultados concretos a evolução do rugby fora do eixo São Paulo-Rio-Santa Catarina. Os primeiros lugares ficaram com dois times inéditos, sendo Vitória e Goianos respectivamente. A trajetória dessas equipes na competição demonstram que o Lions serve como norte para cada um dar o seu melhor. No caso das capixabas, elas participaram a primeira vez em 2010 ficando em sexto lugar, no ano seguinte ficando em terceiro e consagraram-se campeãs este ano, derrubando o favoritismo goiano que foi apontado antes da partida final na página do Rugby de Calcinha no Facebook.

A final foi emocionante, chegando a ter empate durante uma parte do jogo. O fator decisivo foi o emocional de principiante das duas equipes que tiveram que lidar com toda a expectativa de uma decisão inédita. As meninas do Goianos já haviam superado o SPAC A, como sempre grande time favorito dessa competição por jogarem em casa. Já o Vitória havia vencido o Niterói, que também era apontado com grandes chances de levar a taça ouro. Para todos esses jogos uma grande surpresa.

As meninas do Goianos começaram marcando o primeiro try da partida, com conversão. Logo depois, o Vitória marca também empatando em 7 a 7 e deixando todos na lateral do campo nervosos. Vi gente roendo unha, botando a mão na cabeça em sinal de desespero. Uma das jogadoras das Abelhinhas (como são conhecidas as jogadoras de Goiânia), a Ciccio (ex-Bandete), teve lesão forte, fraturando uma costela. Talvez isso tenha deixado as meninas apreensivas e sua principal estratégia, a defesa, abalada. Com mais dois tries de jogadas bem trabalhadas do Vitória, a equipe levantou o caneco.

De qualquer forma, as duas equipes sentiram o sabor de vitória. Só quem vem de times menores sabe a sensação incrível de vencer suas “ídolas”, ainda que as meninas da Seleção Brasileira que compõem esses times estivessem de fora por estarem descansando após Dubai. Isso não tira de forma alguma o mérito de cada esforço durante treinos e toda a preparação por trás de uma conquista.

E com a frase da bandeira das campeãs a gente encerra esse artigo. “Trabalha e Confia”!
Confira a cobertura dos dois dias de SPAC Lions 2012 na nossa página no Facebook. Muitas fotos legais!